04|10|2017

Conheça técnica XLIF

A evolução tecnológica tem impactos muito importantes em áreas como a medicina. Na cirurgia de coluna não poderia ser diferente. Por ser uma área do corpo muito delicada e de difícil intervenção, as técnicas cirúrgicas para coluna estão sempre evoluindo. A XLIF (do inglês Extreme Lateral Interbody Fusion) é uma técnica minimamente invasiva que tem sido cada vez mais adotada, no Brasil e no mundo.

Criação da técnica

A XLIF foi criada pelo médico brasileiro Dr. Luiz Pimenta, em parceria com a Universidade da Califórnia e vem sendo mais adotada por médicos de todo o mundo. Por se tratar de uma cirurgia minimamente invasiva, ela pode ser indicada para idosos e sua recuperação é mais rápida e menos dolorosa.

Normalmente indicada para os casos de hérnias de disco, degeneração articular e discal por artrose e escolioses degenerativas,  a técnica vem evoluindo para que possa ser utilizada em outros casos.

Como funciona a XLIF

Essa cirurgia se dá por pequenas inserções na lateral do abdome, passando por um músculo chamado Psoas, que se estende ao longo de todo o comprimento da parte inferior da coluna e é responsável pela estabilidade, flexão e amplitude de movimento da parte inferior das costas e quadris.

Na XLIF, diferente de outras técnicas cirúrgicas, a região a ser operada é atingida através de uma pequena incisão na lateral do abdome,  criando uma passagem estreita através dos tecidos moles subjacentes e músculo Psoas. A travessia é feita através da separação suave das fibras e sem cortes, chegando diretamente à vértebra e discos a serem tratados. Este tipo de travessia é chamado Transpsoas.

Ao atingir o local que necessita ser tratado, o cirurgião usa técnicas minimamente invasivas para realizar a cirurgia em si e corrigir as partes danificadas. Com esta técnica, aproximadamente 2/3 do disco danificado podem ser removidos com segurança. Um disco artificial é colocado entre as vértebras, possibilitando o crescimento ósseo entre as duas vértebras. Ao trabalhar com esta técnica, evita-se órgãos e  grupos de vasos sanguíneos localizados no abdome do paciente.

Quando a XLIF não é indicada

Nem todos os pacientes são indicados para a XLIF.  Nos casos em que tratamentos mais conservadores falharam, é possível utilizar a cirurgia para um resultado mais definitivo. No entanto, algumas deformidades com rotação significativa, espondilolistese de alta grau, e cicatrizes retroperitoneal bilateral são casos de contra indicação de uso dessa cirurgia.

Lembre-se que antes de tomar qualquer decisão, é importante consultar um médico de confiança e discutir a solução mais adequada ao caso e as condições de saúde de cada paciente.

Benefícios da XLIF

A cirurgia minimamente invasiva traz diversas vantagens em relação a cirurgia aberta. Entre estas, podemos citar:

  • Menor sangramento durante a cirurgia
  • Cicatrizes reduzidas
  • Menos dias de internação
  • Menor taxa de complicação
  • Menor dor pós operatória
  • Recuperação mais rápida

Além disso, essa cirurgia pode ser recomendada em casos que a cirurgia aberta seria descartada, como idosos e pessoas com questões de saúde delicadas.

As cirurgias minimamente invasivas são um evolução importante na área de saúde da coluna e devem ser feitas por um bom cirurgião, especializado nessas técnicas. Se você sofre com dores e incômodas na coluna, procure um médico de confiança e avalie se este é o seu caso.